domingo, 13 de outubro de 2019

Exposição de Ana Rita Ramos reflete Pensamentos de uma Vida!

Porque é mais do que uma exposição de escrita, é um alerta para a importância da reutilização de materiais e para a consciencialização dos problemas sociais. 
Os textos abordam temáticas variadas, desde a morte, a solidão, a violência, a perda e, claro, o amor! Não poderia deixar de escrever sobre sentimentos! 
Ana Rita Ramos nasceu alentejana em Castelo de Vide e trouxe para as ondas de Buarcos o gosto pelas palavras e pela vida, que agora expõe na Biblioteca Municipal da Figueira da Foz Pedro Fernandes Tomás, onde continua patente todo o mês de outubro. 
Um dos textos da apreciada autora focando precisamente um dos dramas sociais e infelizmente quase diários do momento: 
A vítima 
Subiu os degraus lentamente como se não tivesse pressa de chegar, como se o tempo pudesse parar para que ela subisse devagar. Olhou ao seu redor para se certificar que estava em segurança. 
As pessoas passavam por ela sem a verem. Para elas ela era mais uma mulher que cruzava o seu caminho. Será que sabiam? Será que se notava? Disfarçou a sua angústia e continuou o seu trajeto. O lenço tapava tudo, só não tapava a sua dor e a vergonha. As escadas terminaram, era altura de enfrentar o medo e dar o passo em frente. As pernas começaram a fraquejar. “Agora não, não me deixem ficar mal”, pensou. E com uma força vinda de dentro pousou um pé à frente do outro e entrou. A esquadra era estranha, talvez diferente da dos filmes. Ao fundo, um polícia sorriu ao de leve para a mulher mascarada. Ela desviou o lenço da cara e com um fio de voz rouca confessou: "-Eu sou vítima de violência doméstica..." (Ana Rita Ramos)

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Exposições no CAE no mês de outubro: Todas as Crianças são Pedras Preciosas / A Parte Visível / Sul Sul

04 de outubro, 17h30: Inauguração da exposição "Todas as Crianças são Pedras Preciosas" na Sala Zé Penicheiro, da Magenta - Associação dos Artistas pela Arte. Patente até 03 de novembro. 
“Todas as Crianças são Pedras Preciosas” é uma exposição que exibe reproduções de desenhos de Pedro Brazião Rodrigues e de telas inspiradas em desenhos de sua autoria feitas por autores consagrados. 
As pedras preciosas, que passam pela experiência oncológica, veem as suas faces lapidadas, polidas, num processo de reestruturação que revela o que têm de mais resistente, valioso, brilhante e belo. 
"O Pedrinho conviveu com a doença das células malucas durante quase 5 anos, o que acabou por levá-lo deste mundo com 10 anos e 364 dias. Apesar da doença, o Pedro construiu um imaginário fantástico fruto de uma força de viver imensa e de uma imaginação hilariante. Com arte, reformulou o seu mundo tornando-o não apenas suportável, mas deliciosamente mágico.” (In Pedrinhas). 
04 de outubro, 18h30: Inauguração da exposição "Parte Visível" na Sala Afonso Cruz, de Jean-François Bourgeot. Patente até 01 de dezembro. 
A Índia é um país onde os opostos convivem constantemente: o trivial e o sagrado, o belo e o feio, o puro e o impuro, a limpeza e a sujidade, a gentileza e a violência, a tradição rígida e a modernidade desgrenhada, a confiança e o medo, o caos e a serenidade, o real e o imaginário por vezes tão fundidos um no outro… 
A nossa intenção é, em primeiro lugar, fazer justiça ao que nos parece belo, estando sempre apto a enquadrar o ser humano. A outra decisão, esta puramente plástica, está relacionada com a saturação das cores. 
O sândalo ou o excremento, o amarelo, o vermelho ou o índigo, têm aqui a força da vontade primária, até mesmo primordial. Se a Índia tem mil mistérios e certamente muito pó debaixo do tapete, ela é também o país da franqueza. É essa franqueza, ofuscante e inebriante, que quero restituir nas escolhas cromáticas, claramente coloristas. 
E é com as mulheres – elas são tão rapidamente elevadas ao estatuto de deusas como maltratadas, massacradas, esquecidas – nas diferentes idades da vida, que escolho deitar um olhar afetuoso sobre este imenso e indecifrável país. 
11 de outubro, 18h30: Inauguração da exposição "Sul/Sul" na Sala 2, de Mário Tendinha. Patente até 19 de janeiro de 2020. 
Tem um SUL para contar ao mundo e é o que faz em várias exposições depois de 25 anos sem pintar devido à destruição do seu atelier quando Angola foi invadida pelas tropas Sul Africanas. 
E é ali onde tudo acontece, onde o SUL começa, acaba e recomeça. 
Mário Tendinha, angolano, *carrega o saco das memórias do seu SUL e transporta-nos com a magia do seu fino traço para uma viagem através desse seu SUL. 
Ele é um contador de estórias. *Ana Paula Tavares in Meridionális 
... 
Horários: De segunda a quinta-feira, 9h00 às 23h00; Sexta-feira, 9h00 às 24h00; Sábados, 10h00 às 24h00; Domingos e feriados, 10h00 às 19h00; Dias de espetáculo, até ao final do espetáculo.

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Magenta dinâmica com pintura, 7ª arte e exposições!

Concurso de pintura no âmbito Film Art 2019 
'Pintura e sétima Arte' foi o título e o mote para o concurso de pintura promovido pela Magenta em parceria com a Associação Conquistapanorama no âmbito do Festival internacional de Cinema da Figueira da Foz - Film Art 2019. 
Nesta 3ª edição participaram 24 artistas plásticos oriundos de vários países: 
Angola, Moçambique, Luxemburgo e Portugal, não só da região da Figueira da Foz mas também de Santa Maria de Âncora, Barcelos, Vinha da Rainha, Cartaxo, Tomar, Marinha Grande e Lisboa. 
O júri, composto por 5 elementos, selecionou para premiado o trabalho intitulado "The end" da autoria do artista plástico Mário Rebelo de Sousa de Santa Maria de Âncora, e atribuiu duas menções honrosas aos trabalhos dos artistas plásticos Maria de Lourdes Custódio da Figueira da Foz, e de José Figueiredo de Lisboa, prémios que foram entregues na Gala de Encerramento do Film Art 2019 no Casino da Figueira. 
Exposição de Mimi Veríssimo e de António Ferrolho 
"Viagem pelos desenhos de António Ferrolho e pintura de Mimi Veríssimo" intitula a exposição patente na Galeria Magenta e que foi inaugurada no passado sábado. Até 11 de outubro podem-se apreciar os desenhos a carvão que contrastam com as cores fortes da pintura o que torna esta exposição eclética. 
Expo das luxemburguesas Martine Kieffer e Yasmine Shwatchtgen
A 24 de setembro será inaugurada a exposição de pintura "Mayamix" das luxemburguesas Martine Kieffer e Yasmine Shwatchtgen na galeria de solidariedade do Hospital Distrital da Figueira da Foz numa parceria com esta unidade de saúde e a sua Liga de Amigos. 
Magenta participa no D'Arte, em Cantanhede 
Na próxima semana, a Magenta-Associação de Artistas pela Arte participa no D'Arte-Festival das Artes criado pela Associação Orfeão Vox Caeli, de Cantanhede, e que integra a programação cultural do referido festival que vai decorrer de 23 a 29 de setembro na cidade de Cantanhede. Participa com uma exposição coletiva de pintura, escultura e cerâmica a ser exibida na antiga estação de comboios de Cantanhede, e que pode ser apreciada de segunda a sexta-feira das 15 horas às 19 horas, com entrada livre e uma visita comentada a ter lugar no dia 26 de setembro às 21h30. 
Aulas de pintura, escultura, fotografia, cerâmica e música 
A Associação mantém a sua atividade em constante movimento promovendo inúmeras atividades culturais. Não só promovendo e realizando exposições de pintura, escultura, fotografia, cerâmica e outras artes, mas também promovendo o desenvolvimento de competências em workshops e nas aulas de pintura em tela e pintura em tecido, bem como nas aulas de música nomeadamente viola, cavaquinho, piano e outros instrumentos musicais, cujas inscrições se encontram abertas para iniciar o ano 2019-2020 já em outubro, dirigidas a todos os setores etários, em horário laboral e pós-laboral. 
Os contactos podem ser efetuados para (magentarte@gmail) ou 919858314.

sábado, 14 de setembro de 2019

A arte de Mário Silva continua viva: Inauguradas hoje três exposições em Coimbra em simultâneo e patentes pelo mesmo período de tempo!

Três anos após após o seu falecimento (29.nov.929 / 10.set.016) o artista plástico Mário Silva, nascido em Bencanta, Coimbra, e que teve o seu atelier em Lavos, Figueira da Foz, várias vezes premiado nacional e internacionalmente pela sua arte, vai ser evocado através de três exposições em simultâneo e patentes pelo mesmo período de tempo. Foi em 1957 que Mário Silva expôs pela primeira vez, individualmente, no salão do Café Nicola, e agora a sua obra pode ser revisitada numa viagem ao passado, onde se podem apreciar alguns dos seus trabalhos produzidos desde a década de 40 até aos finais de 2010. 
Intitulada "Coimbra e o mundo de Mário Silva: vida e obra", as exposições podem ser visitadas de 14 de setembro a 20 de outubro com entrada livre: 
Convento São Francisco, Galeria Pedro Olayo (Filho), décadas de 1940 a 1970 - Todos os dias das 15h00 às 20h00 / Avenida da Guarda Inglesa / 239857191; 
Museu Municipal de Coimbra, Edifício Chiado, décadas de 1970 a 1990 - 3ª a 6ª feira das 10h00 às 18h00 / sábados e domingos das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. Encerra à segunda feira e feriados / Rua Ferreira Borges / 239840754; 
Casa Municipal da Cultura, Galeria Pinho Dinis, décadas de 1990 a 2010 - 2ª a 6ª feira das 09h00 ÀS 19h30 / sábado (a partir de 21 de setembro) das 11h00 às 13h00 e das 14h00 às 19h00 / Encerra ao domingo e feriados / Rua Pedro Monteiro / 239702630. 
=Ver curriculum de Mário Silva AQUI=

terça-feira, 3 de setembro de 2019

Artistas da Arte Galego Portuguesa convidados a exporem na Covilhã

A Associação de Amizade e das Artes Galego Portuguesa foi convidada pela direção do Museu de Arte Sacra da Covilhã a exporem na sua galeria. 
Deslocaram-se vários artistas sócios da AAAGP selecionados pela sua presidente. O critério foi aleatório sendo que teve em conta a qualidade e a disponibilidade já que em tempo de férias é difícil conciliar atividades conjuntas. 
A expor na galeria: Alice Piloto, Maria Guia Pimpão, Conceição Oliveira, Conceição Ruivo, Cosme, Graça Cunha e Odete Redondo. 
Anselmo Simões e José Redondo executaram pintura ao vivo no átrio do museu na manhã do passado sábado ladeados por artistas locais, e todos os artistas foram convidados a expor individualmente naquele magnífico espaço.
Inaugurada a 30 de agosto, a exposição está patente até 29 de setembro.

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Multifacetada artista plástico Conceição Ruivo arrecadou num concurso 4 prémios em 4 categorias diferentes!

Conceição Ruivo (ao centro na foto) concorreu ao Concurso Elias Cação Ribeiro - levado a efeito no Dia da Freguesia de Quiaios, cuja cerimónia se efetuou no passado dia 24 - nas categorias de Literatura, Prosa, Poesia, e Fotografia, tendo em todas arrecadado um prémio! 
Mostrando alguma mágoa pela ausência da imprensa na atribuição dos prémios, a artista natural da Figueira da Foz onde nasceu em 1954, encontra-se por outro lado, orgulhosa desta atribuição pela Junta de Freguesia de Quiaios. 
Tem o Curso de Formação Feminina onde adquiriu um vasto conhecimento sobre desenho, pintura, tapeçaria e bordados tradicionais portugueses, cursou Artes Gráficas e Artes dos Tecidos, e cursou Artes Plásticas e Design. Foi professora, e iniciou a sua carreira artística em 1968, tendo logo sido premiada em 1971. Em 2014 foi-lhe atribuída a Medalha de Mérito Cultural em Prata Dourada pela edilidade figueirense. 
Detentora de um extenso e invejável curriculum, está representada em diversos museus, entre os quais o Museu da Presidência da República, e em arte pública na localidade do Paião, na Câmara Municipal da Figueira da Foz, no Alqueidão, em painéis cerâmicos de várias escolas e gimnodesportivos do nosso concelho, está representada ainda na Fundação Bissaya Barreto e no crematório local (com inúmeras peças de pintura e tapeçaria) e em inúmeras coleções coletivas e particulares de Arte, no país e no estrangeiro. 
Com vários livros editados, desenvolve também workshops de pintura em tela, pintura em azulejo, tapeçaria e musicologia em encontros de caráter pedagógico e científico. É fundadora e presidente de várias associações internacionais de arte, e fundadora e presidente da Associação da Amizade e das Artes Galego Portuguesa. É frequentemente requisitada por diversas unidades escolares, com quem desenvolve ações pedagógicas orientadas para a estimulação da criatividade, e sensibiliza e estimula grupos seniores de juntas de freguesia, lares de idosos e instituições diversas a participarem ativamente, em ações de cariz artístico. 
A sua obra estética consagra-se principalmente à pintura (óleo e acrílico sobre tela), mas alarga-se aos domínios das artes gráficas, tapeçaria, escultura têxtil, cerâmica/azulejo e arte pública monumental.

O Rastro inaugura no último dia de agosto a exposição de pintura 'Near the Sky' da artista plástico 'Duma'

A galeria o Rastro na rua da Liberdade na Figueira da Foz vai inaugurar às 18h00 do próximo sábado dia 31 de agosto, uma exposição de pintura da artista lisbonense Duma. 
A exposição denominada 'Near the Sky' apresenta peças inspiradas no simbolismo e sensações criadas pela grandiosidade da atmosfera que nos rodeia, o céu. As peças falam-nos de momentos e sentimentos ou de expressões e situações que de alguma forma estão ligadas ao céu, mas principalmente aquilo que pode simbolizar, em termos de força, dimensão, esperança, meditação, observação e introspeção. O céu é o limite. 
Duma - com exposições individuais e coletivas em feiras de arte contemporâneas da Europa, Estados Unidos, Ásia e Austrália - apresenta a figura feminina em todo o seu trabalho numa busca de representar a vida e as suas próprias experiências, criando histórias veladas envoltas em sentimentos e atmosferas que ligam cada apreciador às suas vivências. Exposição patente até 29 de setembro.

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Expo '70x100' de Luís Filipe Folgado na Sala Zé Penicheiro

Inaugurada na passada semana, estará patente até 8 de setembro na Sala Zé Penicheiro do CAE a exposição "70x100" de Luís Filipe Folgado. 
Esta mostra foi inspirada na passagem de Luís Filipe Folgado pela fundação CIEC (Centro Internacional da Estampa Contemporânea) em Betanzos, Espanha.  
As obras – tanto as realizadas em serigrafia, como em xilogravura – resultam da aplicação de uma só cor, o negro. O branco do papel faz o restante, entre um jogo de contrários que se tocam mas não se misturam. Não existem gradações, podendo dizer-se que estão em “estado puro de contraste”. 
A utilização da técnica, por parte do artista faz com que esta repetição acromática não seja um obstáculo para gravar imagens sugestivas e abertas, nas quais se constroem ou desconstroem figuras humanas… através de linhas verticais ou horizontais no contraste negro-branco. Na realidade, cada espetador poderá imaginar o que existe do outro lado, permitindo-lhe assim uma total liberdade de interpretação.

Agosto de muita atividade da Magenta, e já estão abertas as inscrições para aulas de música!

No primeiro domingo de agosto decorreu na salina da Cobra, em Lavos, um concurso de pintura ao vivo, organizado pela Magenta-Associação de Artistas pela Arte, inserido nas comemorações do 12 º aniversário do Núcleo Museológico do Sal. Treze artistas plásticos vindo de diferentes locais do país realizaram os seus trabalhos de pintura sob tema livre, sendo depois submetidos à avaliação do público, que elegeu para primeiro prémio o trabalho da artista plástica Rosário Pedro de Vila Nova de Famalicão, segundo prémio para Madalena Macedo de Barcelos, e terceiro prémio para João Pais, de Coimbra. 
Depois deste certame os artistas seguiram para o Art Battle que teve lugar no Forte de Santa Catarina, fruto de uma parceria estabelecida entre a Magenta e o café Forte de Santa Catarina, tendo como objetivo a conjugação de esforços para divulgação das artes. Este evento contou com a participação de dez artistas plásticos que formaram dois grupos de cinco pintores e cada artista teve 20 minutos para executar o seu trabalho numa tela de 50cm x 60cm. O público votou no seu trabalho favorito e, de cada grupo, os dois artistas mais votado passaram á prova final. Aqui cada artista teve uma tela de 50cm x 70cm para pintar em meia hora. Os trabalhos foram também votados pelo público e, assim se elegeram como premiados: 1º prémio, Nitael Bruno da Figueira da Foz; 2º prémio, Maria Almeida, de Lavos, Figueira da Foz; 3º prémio, David Fernandes, de Coimbra. Todos os premiados receberam uma medalha e possibilidade de expor na galeria Magenta, e o primeiro premiado recebeu, ainda, a possibilidade de participar numa exposição coletiva em Paris, no Carrousel du Louvre, em outubro, uma oferta da Artcom Expo, Associação Internacional de Artistas com a qual a Magenta tem parceria. 
Por sua vez, na galeria Magenta, e de 1 a 15 de agosto, continua patente uma exposição de pintura de Ramiro Calouro e Salanga Yango. Ramiro Calouro nasceu em Coimbra e reside na Figueira da Foz desde tenra idade, tendo um vasto curriculum de exposições e sido galardoado com alguns prémios em mostras internacionais. Salanga Yango Ricardo  nasceu em Buku-Nzau na província de Cabinda, Angola, em 1964. Fez os seus estudos, primário, secundário e superior, na Academia de Belas Artes de Kinshasa, onde realizou várias mostras individuais e coletivas. Em 1986, a convite da Academia de Belas Artes de Paris, efetuou um estágio de pintura. Conceituado artista plástico, encontra-se radicado em Portugal, desde 1993, em Leiria. 
E na sala 3 do Centro de Artes e Espetáculos da Figueira da Foz, está em exibição uma exposição de pintura, desde o dia 5 de agosto a 15 de setembro, fruto de uma parceria entre a Magenta e  a Conquistapanorama. Trata-de da 3ª edição do concurso "Pintura e Sétima Arte" que serve de mote para a realização dos trabalhos. 
A mostra conta com a 24 trabalhos de pintura realizadas por 24 artistas, não só de diversos pontos do pais mas também do Luxemburgo e de Angola. Os resultados dos prémios atribuídos serão conhecidos na gala de encerramento do festival de cinema. 
... 
No próximo sábado 17 de agosto, pelas 18h30, na sua galeria, terá lugar a inauguração da exposição coletiva de pintura, escultura e cerâmica, intitulada "Coletiva de Verão" que conta com a participação de 34 artistas.
… 
E já se encontram abertas as inscrições para as aulas de música, nas vertentes de piano, viola e cavaquinho, que irão ter início em setembro / outubro. Informações pele telefone 919858314.

sábado, 3 de agosto de 2019

Galeria O Rastro inaugurou hoje exposição de Luzia Lage

Foi inaugurada na tarde deste sábado a exposição “Vida e Obra dos Mistérios” da artista plástico Luzia Lage na Galeria O Rastro situada na rua da Liberdade da Figueira da Foz. ~
“… Luzia Lage pinta a perplexidade das duas metades da vida. O peso do real e a leveza da superação. A força do sonho e a lonjura do sono. O mistério da criatividade e o limite das mãos. O deslumbramento da ideia e a oscilação da matéria…” Lídia Jorge - In texto para “Um Abraço à Porta”
Patente até 29 de agosto.

'O Avesso e o Direito' – Exposição de fotografia de João Santana Lopes no CAE

Inaugurada ontem, está patente até 29 de setembro na Sala Afonso Cruz do CAE a expo de fotografia de João Santana Lopes 'O Avesso e o Direito'.
Mostramo-nos pelo direito, mas funcionamos pelo avesso. O avesso é o verso, o reverso, o inverso, o adverso, a outra metade das coisas, o não visível que faz o direito funcionar, o que não se vendo existe, ainda que tantas vezes não o reconheçamos. É o lugar onde ficamos quando nos viramos do avesso. Mas também o lugar em que existimos enquanto dormimos, em que as sombras que persistem do que é vivido se encontram com aquelas que de outros tempos aguardavam e entre elas tecem das coisas as ligações de onde as palavras nascem. O presente é, do passado, um avesso transmutado e transportado para o futuro; a lagarta o avesso de que a borboleta tentou descartar-se; os bastidores o avesso do espetáculo; a cozinha o avesso do banquete; a placenta o avesso do bebé; o negativo o avesso da fotografia...
O Avesso e o Direito”, de João Santana Lopes, é uma reflexão fotográfica sobre diversas facetas da relação com os avessos de nós - o encontro desencontrado com o que não se deixa ver diretamente, com o interior que oculta e revela, com os reflexos em que simultaneamente nos revemos e nos escondemos, com o outro em nós, o inquietante duplo, ao mesmo tempo estranho e familiar.

quinta-feira, 25 de julho de 2019

Feira do Livro no Meeting Point = e em agosto junta-se na praceta o Artesanato Urbano

Inaugurada na passada 6ª feira, decorre até dia 01 de setembro a Feira do Livro da Figueira da Foz 2019, no Meeting Point (praceta José Ledesma Criado) com o horário das 10h00 às 24h00. 
Neste período haverá encontros com diversos escritores, sempre às 21h30, com os figueirenses Pedro Rodrigues (26 julho), Nuno Camarneiro (02 agosto) e António Tavares (11  agosto). E também com Subhi Alghussain (28 julho), Alberto S. Santos (28 julho), Isabel Rio Novo e Paulo M. Morais (03 agosto), Pedro Mexia (10 agosto), Rui Miguel Gonçalves (18 agosto), Paulo Nogueira (23 agosto) e Florbela Oliveira (25 agosto).  
Também irão decorrer 'Sessões de Contos' dinamizadas por Miguel Gouveia da 'Bruaá' (dias 1, 8, 15, 22 e 29 de agosto, às 21h30). 
A esta Feira do Livro junta-se, em agosto, às sextas-feiras, sábados, domingos e feriado de 15 de agosto,  a Craft’Out – Mostra de Artesanato Urbano 2019, na praceta José Ledesma Criado, entre as 15h00 e as 24h00. 
Eventos de entrada livre.

domingo, 21 de julho de 2019

Paulo Diogo com exposições na Galeria Magenta e Hospital

O artista plástico Paulo Diogo tem patente na galeria Magenta até 30 de julho a exposição "Animais Irracionais", titulo escolhido de forma intuitiva enquanto organizava o conjunto de telas pintadas a óleo para a exposição. É como ter escrito um livro e só no final lhe dar um título! 
Por sua vez a sua coleção de “pinturas do século XXI" estará patente até 21 de setembro no Hospital Distrital da Figueira da Foz, fruto de uma parceria entre esta unidade de saúde, a sua Liga de Amigos e a Magenta. 
Momentos de arte ao serviço dos profissionais do hospital e dos seus utilizadores.

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Workshops de fotografia no CAE no âmbito da exposição 'Petra'

Vão realizar-se três workshops de fotografia no CAE, no âmbito da exposição "Petra – A Panoramic Journey, a Exposição" de Subhi Alghussain que está patente até 29 de setembro na Sala 2 de exposições do CAE. 
Os workshops serão nos dias 20 de julho, 24 de agosto e 21 de setembro, entre as 10h00 e as 17h00. As inscrições, num mínimo de 5 e máximo de 10 participantes, terão um custo de 5 euros. 
Trata-se de um workshop de introdução à fotografia, versando as técnicas básicas e composição, sessão prática no exterior, terminando com processamento de imagem. Para mais informações, contactar através do telefone 966436522 ou pelo email (nuno.furet@azimuttezero.pt).

segunda-feira, 15 de julho de 2019

O Artista plástico Jose Antonio del Castillo expõe na Casa dos Suecos

Inaugurada no passado sábado, estará patente até 31 de agosto a exposição “Los paseos por Portugal” do multifacetado artista plástico espanhol Jose Antonio del Castillo. 
Professor de Belas Artes, divide-se entre a cidade onde nasceu, Ciudad Rodrigo, e a Figueira da Foz que adotou como sua, onde criou raízes, amizades, vivência, e onde tem realizado diversas mostras de arte pintada em tela. 
Entre as principais obras encontram-se os títulos "Lavando los pes con agua de sal...en Lavos", "El arqueólogo" na nascente do río Lis, e "Forte Santa Catarina, Figueira da Foz". 
São "Los paseos por Portugal” de Jose Antonio del Castillo.

terça-feira, 9 de julho de 2019

Conversas com Saber: Orador António Ambrósio fala sobre o tema 'Astrologia e Autoconsciência'

A SMS (Associação dos Amigos do Convento de Santa Maria de Seiça) convida os seus associados e amigos para mais uma palestra das Conversas com Saber sobre o tema 'Astrologia e Autoconsciência' com o orador António Ambrósio. 
A sessão, que terá lugar no Auditório Municipal do Museu da Figueira da Foz no sábado de 20 de julho às 15 horas, será antecedida por um momento musical com o grupo de cavaquinhos 'Acorde da Foz'. 
No final segue-se a já habitual e esperada degustação do bolo Delícia do Abade João® acompanhada de chá.

sábado, 6 de julho de 2019

Fragmentos de Luz – Exposição de Teresa Vilar na Sala Zé Penicheiro

Inaugurada ontem, está patente até 4 de agosto na Sala Zé Penicheiro do CAE a exposição 'Fragmentos de Luz' de Teresa Vilar. 
Através destas telas abre-se uma janela para a vida, uma orquestra de luzes e cor, um fôlego recuperado na Natureza... Traços de saudade incessante, névoas de um futuro incerto. Agora é tempo para sentir, apenas sentir.

Casa do Paço acolheu 3ª sessão de 'Terças com Poesia'

O Município da Figueira da Foz em colaboração com a Livraria Miguel de Carvalho, promoveu, no passado dia 02 de julho, pelas 21h30, na Casa do Paço, a terceira sessão do projeto 'Terças Com Poesia' cujo objetivo é divulgar a poesia em geral e comemorar o centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner. 
A convidada desta sessão, em que marcou presença o vereador da cultura Nuno Gonçalves, foi Raquel Marinho, jornalista e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, que se mostrou muito feliz e agradada pelo muito público presente, situação muito inusual nas sessões de poesia. 
Raquel Marinho declamou poemas de poetas atuais, principalmente de poetas mulheres.

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Pateo das Galinhas promove oficina para nova produção teatral

O Pateo das Galinhas – Grupo Experimental de Teatro - vai promover uma Oficina aberta de construção de figurinos para nova produção teatral. 
A formação vai estar a cargo de Diana Regal, bacharel em teatro, com larga experiência como figurinista, desenvolvendo trabalhos de criação ligados às artes performativas, e que desde 1996 trabalha com diversos artistas da cena nacional e internacional das áreas do espetáculo e das artes visuais. 
A oficina terá lugar no Sítio das Artes, nas instalações do Pateo das Galinhas, nos dias 7 e 8 de julho, domingo e segunda-feira, das 15h00 às 20h00. 
A inscrição é gratuita. Informações por mensagem na página do Facebook ou através do email (teatrodebico@gmail.com).

Biblioteca com horário alargado até final de julho, Núcleo Museológico do Mar aberto aos sábados até setembro

Informa-se que a título excecional o horário de funcionamento da Biblioteca Pública Municipal Pedro Fernandes Tomás, praticado durante o mês de junho, se mantém em julho, por forma a garantir aos estudantes do concelho o acesso, em período de exames e provas escolares, a um espaço de estudo, pesquisa e consulta documental e digital. 
Horário no mês de julho: De 2ª a 5ª feira das 09h30 às 20h00; 6ª feira das 09h30 às 23h00; Sábado das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 23h00; Excecionalmente dia 5 de julho, sexta-feira, e sábado dia 6 de julho, a Biblioteca Municipal encerrará às 20h00.
... 
Por sua vez o Núcleo Museológico do Mar vai abrir aos sábados entre 15 de julho e 15 de setembro entre as 14h00 e as 19h00. 
De 2ª a 6ª feira, das 9h00 às 13h00 | 14h00 às 17h00; Sábados, das 14h00 às 19h00.

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Magenta participa em mostra de arte internacional e que está patente na sua galeria até 5 de julho!

A Associação de Artistas pela Arte participa em mais uma grande mostra internacional de arte itinerante que se iniciou em Itália (Palácio de Congressos de Limone Sul Garda, e na galeria la Pigna propriedade do Vaticano em Roma) passando pela Suiça (Galeria Cathédrale, em Friburgo) e que se encontra agora em Portugal e na galeria da Magenta na Figueira da Foz, tendo a exposição sido inaugurada com a presença do presidente da  Artcom Expo - Associação Internacional sediada na Noruega, entre outros artistas portugueses e estrangeiros. 
Estará patente até 6ª feira dia 5 de julho, das 15h00 às 19h00. 
Nesta mostra participam mais de sete dezenas de trabalhos, entre fotografia, pintura, escultura e azulejaria, de artistas de diversos países: Albânia, Angola, Argentina, Brasil, Chile, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Estados Unidos da América, França, Itália, Letónia, Luxemburgo, Noruega, Portugal, Reino Unido e Rússia. 
Nesta digressão artística têm sido distinguidos alguns do participantes e muito nos honra ver artistas portugueses, associados da Magenta, a receber algumas dessas distinções. Em Roma, a pintura de Fernanda Pires (Figueira da Foz) foi agraciada com Medalha de Cobre e a de José Baptista (Lisboa) com Menção Honrosa. Já em Friburgo, duas Menções Honrosas destacaram a pintura de Maria Rita Parada (Lisboa) e o trabalho fotográfico de Dulce Menezes (Figueira da Foz).

sexta-feira, 28 de junho de 2019

'Terças com Poesia' na Casa do Paço / e o colóquio 'Santos Rocha' com prazos para as apresentações

A terceira sessão do projeto 'Terças Com Poesia', uma colaboração do Município da Figueira da Foz com a livraria Miguel de Carvalho, irá decorrer no dia 02 de julho pelas 21h30 na Casa do Paço, tendo como pano de fundo a coleção de azulejos de Delft, cujo objetivo é divulgar a poesia em geral e comemorar o centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner. 
A convidada desta sessão é Raquel Marinho, jornalista e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea.
Nos próximos dias 21 e 22 de novembro irá realizar-se no Museu Santos Rocha na Figueira da Foz o colóquio 'Santos Rocha, Arqueologia e Territórios da Figueira da Foz ' organizado em parceria com o Instituto de Arqueologia da Universidade de Coimbra no âmbito das comemorações dos 125 anos do espaço museológico. 
No âmbito deste evento encontra-se a decorrer até 15 de julho a apresentação de comunicações e pósteres, os quais devem incidir sobre temas diretamente relacionados com o território e a arqueologia do concelho, desde as origens até à época industrial, ou sobre problemáticas relacionadas com os sítios arqueológicos estudados por Santos Rocha e as coleções hoje conservadas no Museu Municipal.

sábado, 22 de junho de 2019

O Figueirense - Jornal mais antigo da Figueira da Foz está de parabéns - Completou um século de vida!

O Jornal O Figueirense comemorou na passada 4ª feira dia 19 de junho de 2019 o seu centenário, promovendo no Casino Figueira um debate sobre o futuro da comunicação social portuguesa perante uma plateia que encheu a sala. 
O diretor do agora mensal jornal O Figueirense, António Jorge Lé, moderou os distintos oradores convidados, João Palmeiro (presidente da Associação Portuguesa de Imprensa) e Jorge Castilho (jornalista e professor de comunicação social), tendo durante o debate aproveitado a ocasião para homenagear o jornalista Aníbal José de Matos e o também professor universitário João Palmeiro. 
A centralidade dos chamados «grandes títulos», o papel dos jornais clássicos e os em formato digital, a formação e a deontologia da profissão foram alguns dos temas abordados. 
Ao longo do debate Jorge Castilho defendeu que “hoje não é jornalista quem quer pois, além da formação, há que cumprir de forma rigorosa uma série de regras e um código deontológico”. 
No final, ficou uma certeza: os títulos em formato papel não irão terminar, sendo certo que o futuro de qualquer órgão informativo (clássico ou digital) passa pela credibilidade, seriedade e profissionais devidamente habilitados para o exercício da função. 

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Magenta organizou o 'seu' concurso de pintura ao ar livre 'Figueirartes' – E assinou protocolo com a União Nacional de Artistas Plásticos de Angola!

Decorreu no passado sábado a quinta edição do Figueirartes, uma organização da Associação dos Artistas pela Arte Magenta da Figueira da Foz, um concurso de pintura ao ar livre que trouxe à nossa cidade artistas plásticos de Guimarães, Unhais da Serra, Coimbra e de Leiria que, com os artistas figueirenses, criaram um agradável clima de amizade, convívio e partilha durante o evento que este ano se associou à iniciativa da Filarmónica Dez de Agosto, tendo assim decorrido na “República ConVida”, a qual contou também com a declamação de poesia por Maria Simões. 
Ainda na manhã deste dia a Magenta recebeu Manuel Oliveira, presidente da União Nacional de Artistas Plásticos (UNAP) de Angola, que se deslocou à Figueira da Foz para assinar um protocolo de parceria entre as duas associações de artistas.
A cerimónia que contou com a presença  da vice presidente da câmara Ana Carvalho, do vereador da cultura Nuno Gonçalves, e do presidente da Assembleia Municipal José Duarte, que usaram da palavra reconhecendo e valorizando a importância desta parceria entre os dois povos de língua portuguesa. 
Voltando à parte da tarde, refira-se que após conclusão dos trabalhos de pintura estes ficaram em exposição na galeria Magenta. O júri foi composto por cinco elementos que selecionaram os trabalhos premiados, seguindo-se depois a entrega dos prémios e dos certificados de participação. 1º prémio - Madalena Macedo de Guimarães; 2º prémio - Màrio Costa de Unhais da Serra; e 3º prémio - ao figueirense Luís Cláudio, que receberam um troféu em cristal, oferta da DNM Sociedade de Advogados, os dois primeiros acrescidos de participação futura noutras exposições. Foram também atribuídas menções honrosas aos figueirenses Mário Silva (filho) e a Fernanda Pires.