segunda-feira, 14 de março de 2016

Graça Pires – Poetisa figueirense apresentou livro na Biblioteca

A convite da Divisão de Cultura do Município da Figueira da Foz a poetisa figueirense Graça Pires esteve, no passado sábado dia 12 de março, na Biblioteca Municipal da Figueira da Foz, para a apresentação do seu mais recente livro, “Uma Claridade que cega”. A obra, que celebra os 25 anos de edição da autora, surge da demanda de Graça Pires pelas muitas linguagens poéticas que foi encontrando ao longo de um quarto de século de vida à volta das palavras, do mar da infância ao silêncio crescido, da luz às trevas. «Quis merecer ser poeta», disse a autora, depois da apresentação do livro, por Manuela Azevedo. Na plateia, muitos amigos e admiradores da autora quiseram ler alguns dos seus poemas, incluindo os que já conheciam de «Ortografia do Olhar», o blogue que Graça Pires mantém no mundo virtual. «São momentos como estes que transformam o ato solitário de escrever no ato solidário da partilha da poesia», reconheceu Graça Pires. 
Ao longo da tarde, numa tertúlia que contou com a presença do Vereador da Cultura, Dr. António Tavares, Graça Pires foi ainda acarinhada com diversas referências a outras das suas obras, de «Não sabia que a noite podia incendiar-se nos meus olhos», de 2007, a «Caderno de Significados», de 2013. A amizade e atenção dos leitores foi recompensada com o anúncio de que, em breve, Graça Pires publicará nova obra, desta feita um livro de poemas que ‘ilustram’, com palavras, quadros de um pintor. 
Editada pela Poética Edições, «Uma Claridade Que Cega» é o 17.º livro de Graça Pires, que se estreou em 1990, depois de ter recebido o Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores (1988), com o livro “Poemas”.

Sem comentários:

Publicar um comentário